Make your own free website on Tripod.com

Voltar

CONSTITUIÇÃO DE UM VULCÃO

Um vulcão é constituído por câmara magmática, chaminé vulcânica, cone vulcânico e cratera.

Observa agora a figura e tenta explicar o que significa cada um destes termos da constituição de um vulcão.

Um vulcão é uma abertura natural na crusta terrestre e por ele são expulsos materiais que existem no interior da Terra. Esses materiais podem encontrar-se no estado gasoso, líquido e sólido.

TIPOS DE MATERIAIS VULCÂNICOS

Gasosos

Líquidos

Sólidos

Vapor de água
Dióxido de enxofre
Dióxido de carbono
Lava
 
Piroclastos:
  • Cinzas
  • Lapilli
  • Bombas
  • Blocos

Exemplos de materiais vulcânicos sólidos

 

Cinzas Lapilli Bombas Vulcânicas Blocos
são fragmentos muito finos, com diâmetro inferior a 2 mm.  fragmentos com diâmetro entre 2 mm e os 50 mm. são fragmentos grosseiros de forma arredondada, que podem apresentar grandes dimensões. são produtos sólidos de grande dimensão que podem atingir um peso de várias toneladas.

Quais os primeiros sinais de que está para ocorrer uma erupção?


Qual é  a única pedra no mundo que consegue flutuar na água?

Lê então o seguinte texto:

 
 

NASCIMENTO DE UM VULCÃO

Violentas explosões de uma misteriosa fonte submarina, ao largo da costa da Islândia, em 1963, marcaram o nascimento do vulcão Surtsey que emergiu do mar.
O primeiro sinal desta erupção, um estranho cheiro a enxofre, foi detectado pela tripulação de um barco de pesca. Logo a seguir, o barco começou a balouçar, o mar apresentava uma cor verde-acastanhada, e o fumo subia a vários quilómetros na atmosfera.
Durante a noite, surgiu uma ilha no mar."Quando desembarcámos - conta uma testemunha - Surtsey estava sossegado. Cruzámos os dedos na esperança de que assim se mantivesse, mas, passados alguns minutos, e antes de que nos apercebêssemos, vimos esguichos de água do mar, longe da praia onde nos encontrávamos.
Fomos surpreendidos por projecções de lava derretida que caía ruidosamente à nossa volta. Perante tal situação havia apenas uma coisa a fazer: ficar quietos em vez de fugirmos, evitando assim as projecções vulcânicas nos viessem a atingir na cabeça.  
Quando as bombas maiores, cerca de um metro de diâmetro, caíam ruidosamente na areia molhada, provocavam um estrondo enorme e estranho. Ao cair na areia, abriam um buraco em forma de taça que logo se enchia de água que, em contacto com pedaços de lava incandescente, começava a ferver".

Perguntas:

1- Há quantos anos se deu o nascimento deste vulcão?
2- Refere em que zona surgiu o vulcão.
3- Qual foi o primeiro sinal da erupção do vulcão?
4- Transcreve frases ou termos que caracterizem as diferentes etapas do vulcão desde o seu nascimento.
5- Explica  por que razão não fugiram os homens preferindo manter-se quietos.
6 - Que tamanho tinham as bombas maiores que foram expelidas pelo vulcão?

Mas os vulcões surgem em sítios que à partida seriam improváveis, como foi o caso de um vulcão que nasceu no quintal de uma família italiana. Um dos primeiros sinais foi alterações no comportamento dos animais: as cobras saíram dos seus abrigos, as galinhas começaram a cacarejar e os porcos tentaram saltar as vedações.

 Nós também temos o nosso vulcão... Chama-se vulcão dos Capelinhos e localiza-se na ilha açoriana do Faial.

 

Estavam os nossos avós açorianos descansadinhos certo dia em 1957, com as suas casinhas construídas sobre as arribas junto ao mar e ao vulcão da ilha, cuja última erupção datava de 1673, quando se começaram a sentir abalos de terra numerosos, mas pouco intensos.
A cerca de um quilómetro ao longo do extremo oeste da ilha do Faial, via-se um simples fervilhar da água do mar.
Ti Jacinto observando tal coisa pensou que os deuses deveriam estar zangados. Que seria aquilo?
- Ó Ti Jacinto, será uma erupção vulcânica? - perguntou o Manelito.
- Tás maluco, rapaz, este vulcão está apagado há prá aí uns trezentos anos.

Mas na verdade era mesmo uma erupção vulcânica que durou cerca de três meses.

No dia 21 de Setembro de 1957 sentiram-se nas povoações mais ocidentais da ilha pequenos sismos. A água do mar começou a fervilhar.
Três dias depois, a actividade aumentou intensamente havendo jactos negros de cinzas vulcânicas de cerca de 1000 metros de altura e uma nuvem de vapor de água que subia por vezes a mais de quatro quilómetros.
A partir de 3 de Outubro, as explosões de piroclastos, ainda que violentas passaram a ser menos frequentes.
Em Novembro aumentou progressivamente a actividade atingindo o seu máximo na primeira quinzena de Dezembro, surgindo um segundo cone vulcânico.
A 16 de Dezembro, depois de uma noite de chuvas torrenciais e abundante queda de cinza, cessou a actividade explosiva tendo começado a efusão de lava.

Hoje em dia, o vulcão dos Capelinhos encontra-se inactivo. 
Se não tens possibilidades de ir  visitar o Faial e tens curiosidade em saber como ficou o local após a erupção, observa esta fotografia que documenta bem aquela realidade.